10 de fev de 2011

Assaré


Uma hora e meia de estrada, num sobe e desce danado que nem montanha russa, com direito a túnel de árvores e um verde sem fim. O Brasil é tão lindo, tão variado, tão cheio de vidas e cores em tantos cantos. 
A apresentação ontem foi engraçada as crianças eram quase pré adolescentes, eles não ligam muito pra essas coisas não, diz que essas coisas só são pras criancinhas, mas quem mais interagiu?!?! Foram eles. Conversava, dava palpite e alguns até cantaram juntos. No final quem disse que eles queriam ir embora?

E fica aqui uma pequena homenagem ao grande Patativa do Assaré.

"Meu nordeste terra amada
Terra de mulher rendeira
do côco, da embolada
e da velha benzadeira
Nesta terra idolatrada
Quero ainda vida inteira

Por ordem celeste
eu sou do nordeste,
sou cabra da peste,
de tudo aqui tem
canta violeiro
abóia o vaqueiro
e o bom sanfoneiro
toca o xem nhem nhem

Não há coisa mais bonita
do que ouvir no sertão
o sabiá amaroso
cantando sua canção
e se ver o sol brilhante
cobrindo a face do chão

Sou nordestino e me orgulho
da terra que Deus me deu,
aqui com natureza
foi que o artista aprendeu
neste solo abençoado
o Reio do Baião nasceu."

Patativa do Assaré

Nenhum comentário:

Postar um comentário