8 de jun de 2012

A Inevitável História de Letícia Diniz

Quando cheguei no Rio de Janeiro em março,
a primeira coisa que fiz foi ir numa reunião com o Marcelo Pedreira.

O danado viu meu filme (Sonhos Roubados), me catou na internet e lá fomos nós para a nossa segunda reunião. Dessa vez na Avenida Augusto Severo, cenário da nova história. Lá, estava diante do aniversário do Marcelo e dos atores Michele Batista e Marcelo Carrera. Dois seres que iriam junto comigo colorir essa história.

Os dias se passaram o mês de março e abril passou voando. Ensaiamos, ensaiamos, ensaiamos e ensaiamos. Fizemos fono com a Marly Britto, li o livro, tomei algumas cervejas com as travestis na Lapa. Encarnei minha bicha dentro de casa e não sei como a Juliana Pontes me aguentou nesses dias. 
Foram dias de intensa busca dessa Alicinha que dia-a-dia eu vinha descobrindo dentro de mim mesma.

Os dias das filmagens chegou bem no período que a minha mãe estava aqui no Rio e pela primeira vez ela me acompanhou no set. E que bem por acaso foi em meados dos dias das mães, ou seja, a bichinha ganhou de presente uma filha traveca e um dia inteiro de filmagem. Foi tudo muito rápido, dois dias no total, mas passaria muitos e muitos dias enfurnada no set vivendo aquela história porque simplesmente amo o meu trabalho.


Salve, salve Marcelo Pedreira que juntou um monte de gente fera!

Vida Longa ao Curta.

3 comentários:

  1. Merda pra gente, minha linda!

    ResponderExcluir
  2. Olá Kika, gostei do teu blog!
    Se quiser me add lá!
    www.diegoiap.blogspot.com
    Beijão

    ResponderExcluir